I.IV Estudos de casos

Serão realizados oito estudos de casos, descritos a seguir. De cada estudo de caso, resultarão diversas atividades, cujas metas quantitativas e qualitativas são, ao final, explicitadas.
a) Internacionalização, extensão urbana e metropolização: apreensão do espaço metropolitano em Curitiba
O estudo, particularizado para uma aglomeração metropolitana, insere-se numa dupla perspectiva: em primeiro lugar, a de testar hipóteses explicativas acerca da extensão urbana na atualidade e, em segundo, a de contribuir para a definição da espacialidade metropolitana que caracteriza Curitiba. Para tanto, partirá do recorte institucional da Região Metropolitana de Curitiba para desconstruí-lo e construir uma categoria de análise espacial adequada a essa realidade
Responsável: Olga Firkowski (LAGHUR/UFPR)
Equipe: Gislene Pereira, (LAURB/UFPR), Gislene dos Santos (LAGHUR/UFPR),
Madianita Nunes (LAURB/UFPR) e pesquisadores do Laboratório de Geografia
Humana e Regional da UFPR; Zulma Schussel, da PUC-PR.

b) Múltiplas dimensões do fenômeno aglomerativo no Rio Grande do Sul
um olhar sobre as aglomerações urbanas não-metropolitanas.
Nesse estudo serão contempladas duas dimensões: a demográfica, avaliando densidade, migração e pendularidade; e a social, abarcando estrutura social e condições socioeconômicas da população. A abordagem será efetuada em duas etapas: primeiramente exploradas as informações dos Censos Demográficos de 1991 e 2000; num segundo momento, a partir da publicação dos dados do próximo levantamento censitário, em 2010, empreender uma síntese comparativa da evolução do fenômeno aglomerativo urbano do RS num período de 20 anos, período esse marcado por mudanças estruturais na realidade nacional e regional, em todos os níveis, econômico, social e político. Além dos dados censitários, serão também considerados referências bibliográficas e locais.

c) A Cidade-Região de Porto Alegre: análise da desconcentração metropolitana no Rio Grande do Sul
Essa análise tem por objetivo ampliar a compreensão dos processos de reestruturação espacial no núcleo da metrópole, bem como apontar tendências para as principais cidades e núcleos urbanos do seu entorno. Assim, o estudo tem também um caráter prospectivo, visando auxiliar os órgãos de planejamento e gestão territorial, os atores políticos e os movimentos sociais no entendimento da nova realidade socioespacial.
Responsável: Paulo Rodrigues Soares (UFRGS)
Equipe: pesquisadores do Núcleo da Região Metropolitana de Porto Alegre

d) O papel das atividades terciárias na estruturação da Região Metropolitana de Porto Alegre e demais Aglomerações Urbanas do RS - 1990-2007
Este estudo tem como objetivo principal estudar a dinâmica dos serviços a partir das principais aglomerações urbanas do Estado do Rio Grande do Sul (Região Metropolitana de Porto Alegre, Aglomeração Urbana do Nordeste, Aglomeração Urbana do Sul e Aglomeração Urbana do Litoral Norte), e da “Região Perimetropolitana”.
Responsável: José Antonio Fialho Alonso (FEE/RS)
Equipe: pesquisadores do Núcleo da Região Metropolitana de Porto Alegre

e) O emprego formal e trajetórias ocupacionais nas Aglomerações Urbanas do RS
Pretende-se analisar o comportamento do emprego formal na Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA) no período recente, tendo como pano de fundo a situação do agregado estadual.
Responsável: Sheila S. Wagner Sternberg (FEE/RS)
Equipe: pesquisadores do Núcleo da Região Metropolitana de Porto Alegre

f) As áreas em transição rural-urbana: articulações com a dinâmica metropolitana e desafio ao planejamento. Estudo de caso de periferias da Região Metropolitana de Recife
Identificar e avaliar, no universo da Região Metropolitana do Recife, as estratégias e articulações socioespaciais motoras da dinâmica e organização do espaço intrametropolitano rural-urbano, os descritores utilizados, as opções de planejamento adotadas pelo Estado e o arcabouço institucional regulador disponível.
Responsável: Lívia Miranda (UFPE)
Equipe: Jan Bitoun (UFPE), Tânia Bacelar (UFPE), Lywistone Galindo (Doutorando UFPE)

g) Estudos sobre os cerrados do Centro-Oeste, sua urbanização e sua sustentabilidade
O foco central deste estudo é pesquisar o processo de ocupação econômica dos Cerrados do Centro-Oeste e as conseqüências dessa ocupação do ponto de vista ambiental e social. Do ponto de vista econômico, sabe-se que essa questão se equaciona com a pressão dos atores que comandam o agronegócio no Centro-Oeste. A dinâmica econômica, entretanto, deixa conseqüências sociais e ambientais para as populações rurais e para as médias e grandes cidades. A Região Centro-Oeste, fortemente influenciada pelo investimento estruturante.
Responsável: Aristides Moysés (UCG)
Equipe: Eduardo Rodrigues da Silva (UCG); Altair Sales (UCG/ITS); José Paulo
Pietrafesa (UCG/UniEvangélica); Renato Pequeno (UFC); : Eguimar Felício
Chaveiro (UFG/IESA), Tule Cesar Barcelos Maia (UCG/MDPT), Luiz Antonio
Estevam (UCG/MDPT).

O laboratório da Coordenação Nacional da Rede INCT Observatório das Metrópoles está temporariamente fechado, por conta do incêndio ocorrido, no começo de outubro, no Prédio da Reitoria da UFRJ.

Pedimos que os contatos sejam realizados pelos seguintes e-mails:

Elizabeth Alves
beth@observatoriodasmetropoles.net

Assuntos administrativos

Karol de Souza
karol@observatoriodasmetropoles.net

Assessoria de Comunicação

Breno Procópio
comunicacao@observatoriodasmetropoles.net

Assuntos Acadêmicos

Juciano Rodrigues
juciano@observatoriodasmetropoles.net