23 Feb
Observatório forma 370 novos pesquisadores no período do Programa INCT
Lido 1384 vezes | Publicado em Notícias | Última modificação em 23-02-2017 16:31:56
 
tamanho do texto reduzir tamanho do texto aumentar tamanho do texto
Qualifique este item
(0 votos)

Os desafios da sociedade urbana contemporânea exigem um conhecimento que supere a fragmentação do conhecimento, em razão do caráter sistêmico dos problemas urbanos. É nesse contexto que o Observatório das Metrópoles vem desenvolvendo um programa de pesquisa e ensino interdisciplinar para a formação de jovens pesquisadores voltados para a temática urbana e metropolitana. No período 2009 a 2016, no qual a nossa rede de pesquisa integrou o Programa Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCT), foram formados 370 novos pesquisadores, sendo 258 mestres, 108 doutores e 4 pós-docs. Esse resultado atesta o compromisso do Observatório na formação de profissionais com capacidade de refletir sobre o espaço urbano, superando as fronteiras disciplinares, das políticas setoriais e regionais. Veja a lista completa com os 370 trabalhos vinculados à nossa rede nacional de pesquisa.

O Observatório das Metrópoles tem se constituído em um programa com grande capacidade de geração e absorção de jovens pesquisadores. Em primeiro lugar, em razão de suas linhas de pesquisas serem incorporadas nas instituições integrantes da rede e, em algumas delas, integrada na grade curricular como disciplina. Em conseqüência, tem-se incorporado de maneira orgânica os projetos de dissertação e de tese no programa de trabalho do Observatório.

Em segundo lugar, pelo fato da rede ser constituída por mais de 40 centros de pós-graduação (mestrado e doutorado) espalhados por todas as regiões do país (Sul, Sudeste, Centro-Oeste, Nordeste e Norte), agrupando um leque disciplinar amplo (sociologia, geografia, planejamento urbano, urbanismo, economia etc.), inserido em uma diversificada rede de centros universitários públicos e privados, o que dota o nosso trabalho de grande potencial. Em muitos centros, tem-se buscado orientar a elaboração de monografias desde a graduação, para a realização de estudos de casos que iniciam os graduandos na formação teórica, na problemática das pesquisas e no exercício metodológico.

Outra frente de formação tem sido o conjunto de atividades realizadas pelo Observatório para capacitar os novos pesquisadores que se associam na utilização da metodologia e nas técnicas de manipulação de dados empregadas na pesquisa. Estas atividades são realizadas através de pequenos cursos e seminários de pesquisa.

São diversas as teses e dissertações defendidas ou orientadas por pesquisadores integrantes de cada núcleo da rede, que foram elaboradas no âmbito das pesquisas realizadas pelo Observatório, tendo os seus autores se beneficiado da metodologia proposta e, ao mesmo tempo, contribuído com estudos aprofundados sobre diversos temas.

Leia mais: Análise Social do Território: Metodologia para o estudo da estrutura urbana brasileira


Ao ingressar em 2009 no Programa Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCT/CNPq/MCT&I), o Observatório das Metrópoles apresentou como meta quantitativa a formação de 150 novos pesquisadores com enfoque na política urbana-metropolitana, com a produção de 50 dissertações e 20 teses de doutorado.

Agora apresentamos o resultado do período 2009-2016, que supera, e muito, a meta inicial, já que foram formados 370 novos pesquisadores, sendo 258 mestres, 108 doutores e 4 pós-docs.


Além disso, como política de difusão científica e incentivo aos jovens pesquisadores, o Observatório das Metrópoles criou a Coleção “METRÓPOLES — Teses e Dissertações” no qual divulga, em formato livro (PDF ou e-book) os trabalhos acadêmicos com mais destaque da sua rede de pesquisa.

 

Dentre os destaques temos:

Arranjos urbano-regionais no Brasil: uma análise com foco em Curitiba

 

A Classe Média Brasileira: posição social e identidade de classe

 

 

Trajetórias, cotidiano e utopias de uma ocupação no centro do Rio de Janeiro

 

A urbanização vai à praia: vilegiatura marítima e metrópole no Nordeste do Brasil

 

O Metrô do Rio de Janeiro: interesses, valores e técnica em projetos estruturais de desenvolvimento urbano

 

Transição regulatória no transporte por ônibus na cidade do Rio de Janeiro

 

Porto Maravilha: antecedentes e perspectivas da revitalização da Região Portuária do Rio de Janeiro

 

Estrutura urbana e mobilidade espacial nas metrópoles


 

Acesse a Lista de Teses e Dissertações da Rede Observatório das Metropóles — período 2009-2016.



Etiquetado como:
voltar ao topo