20 Jun
Megaeventos e intervenções urbanas
Lido 2133 vezes | Publicado em Publicações | Última modificação em 21-06-2017 22:50:27
 
tamanho do texto reduzir tamanho do texto aumentar tamanho do texto
Qualifique este item
(0 votos)

O INCT Observatório das Metrópoles divulga o livro "Megaeventos e intervenções urbanas", organizado por Ricardo Alexandre Paiva. A publicação faz parte da série Intervenções Urbanas, da Editora Manole, que se dedica a publicar obras que se preocupam com a reflexão sobre a produção da arquitetura, os projetos urbanos e as políticas públicas com ação direta sobre o ambiente construído e a qualidade de vida nas cidades. O destaque desta obra é a análise socioespacial dos megaeventos à luz das idiossincrasias do planejamento urbano e da arquitetura e urbanismo.

O livro "Megaeventos e intervenções urbanas" conta com a participação da professora Olga Lucia Castreghini de Freitas-Firkowski, coordenadora do Núcleo Regional Curitiba da Rede INCT Observatório das Metrópoles.

Organizada em três partes (Parte 1 – Da origem aos conceitos; Parte 2 – Da cidade à intervenção urbana; Parte 3 – Da intervenção urbana à arquitetura), seus dezessete capítulos conduzem a uma instigante leitura de temas que se destacam pela convergência de interpretações sobre a intricada relação entre Megaeventos e intervenções urbanas.

Este conjunto permite compreender os impactos e transformações sociais das intervenções urbanas decorrentes dos megaeventos, de acordo com seu organizador, "de um mundo agora globalizado, sob a égide do neoliberalismo". O esforço empreendido para a produção do livro é visível no que se refere à análise sob a luz dos acontecimentos atuais, acompanhando "quase cotidianamente a complexa trama de interesses, conexões e conflitos que os cercam".

Para Lineu Castello, autor do posfácio, é evidente o foco do livro para "uma ótica de inquietação crítica em relação à sua adequada inserção no tecido urbano das cidades do Brasil". Diferencia-se de outras produções sobre o tema na medida em que os megaeventos não estão mais sob a influência midiática que os envolveu antes, durante e logo após a realização. Para Paiva, passou a euforia e a realidade social, urbana e política do país "expõe suas debilidades, inconsistências, contradições e fragilidades".


Seu conteúdo é essencial para profissionais de diferentes áreas, destacando-se a relevância e pertinência da análise socioespacial dos megaventos sob a trama das peculiariedades do planejamento urbano e da arquitetura e do urbanismo. Dentre as constatações realizadas neste campo, discute-se o descontrole urbano no que se refere à gestão das cidades pela (i) desconsideração de preceitos do Estatuto da Cidade, assim como (ii) a desobediência aos planos diretores - de acordo com José Borzacchiello da Silva, se estes tivessem sido respeitados, as "desapropriações, remoções e destruição de paisagens inseridas no repertório urbano dos grupos sociais vitimados pelas grandes obras teriam sido evitadas".

A parte 1 – Da origem aos conceitos, subdivide-se em quatro capítulos (Capítulo 1 – Eventos: uma perspectiva histórica; Capítulo 2 – Megaeventos: dimensões socioespaciais; Capítulo 3 – Quem lucra com os megaeventos?; Capítulo 4 – O mito do legado"), que constituem o lastro histórico, teórico e conceitual para a compreensão das origens, do desenvolvimento e do significado dos megaeventos nos processos de produção e consumo da cidade e da arquitetura no tempo e no espaço.

A parte 2 – Da cidade à intervenção urbana, subdivide-se em seis capítulos (Capítulo 5 – As várias escalas do evento de rua; Capítulo 6 – A Rio+20 no caminho dos megaeventos; Capítulo 7 – Megaeventos como legitimação de projetos urbanos; Capítulo 8 - Reflexões sobre megaeventos e infraestrutura urbana; Capítulo 9 – Megaeventos e turismo no Brasil: as mobilidades na encruzilhada; Capítulo 10 - Produção habitacional, informalidade e megaeventos: o caso de Fortaleza), que abordam questões que privilegiam a escala da cidade, discutindo temas relativos à gestão dos megaeventos e dos grandes eventos de rua, da provisão de infraestruturas, das transformações na mobilidade urbana e metropolitana, da implementação e repercussão dos grandes projetos urbanos, além das políticas e intervenções nos espaços da cidade.

A parte 3 – Da intervenção urbana à arquitetura, subdivide-se em sete capítulos (Capítulo 11 – a arquitetura do espetáculo e o espetáculo da arquitetura; Capítulo 12 – Megaeventos, hotelaria e reestruturação de espaços urbanos: um olhar sobre a experiência do Rio de Janeiro; Capítulo 13 – Megaeventos, design e paisagem urbana; Capítulo 14 – As imagens do tempo nas exposições universais; Capítulo 15 – Três arenas no Nordeste brasileiro: adaptações ao padrão Fifa/Copa 2014; Capítulo 16 – Copa 2014: a cultura passou a largo; Capítulo 17 – Finalizando: dos (mega)eventos aos (micro)eventos), cuja ênfase recai sobre a articulação entre as intervenções urbanas, os megaeventos e a produção da arquitetura, com temas relacionados às tipologias arquitetônicas concebidas e construídas para abrigar os megaeventos, como os pavilhões de exposições e os equipamentos culturais e esportivos, assim como as intervenções na paisagem existente e no patrimônio edificado.

O conjunto de autores é composto sobretudo por acadêmicos e profissionais do campo da Arquitetura e Urbanismo, além de representantes da área de geografia, engenharia de transportes, engenharia civil e também da hotelaria e turismo.

O capítulo 8 - Reflexões sobre megaeventos e infraestutura urbana foi escrito pela Prof. Dra. Olga Lucia Castreghini de Freitas-Firkowski, coordenadora do núcleo Curitiba do Observatório das Metrópoles. Este capítulo apresenta uma contribuição teórica e prática sobre o tema, enfatizando os investimentos e as intervenções urbanas projetadas, construídas e não finalizadas para a efetivação da Copa 2014, e denunciando suas falácias.

Para aquisição do livro "Megaeventos e intervenções urbanas", acesse o site da Editora Manole.

Leia também:

Livro “Megaeventos: impactos da Copa e Olimpíadas no Brasil”

http://www.observatoriodasmetropoles.net/index.php?option=com_k2&view=item&id=1184%3Alivro-%E2%80%9Cmegaeventos-impactos-da-copa-e-olimp%C3%ADadas-no-brasil%E2%80%9D&Itemid=167#

O laboratório da Coordenação Nacional da Rede INCT Observatório das Metrópoles está temporariamente fechado, por conta do incêndio ocorrido, no começo de outubro, no Prédio da Reitoria da UFRJ.

Pedimos que os contatos sejam realizados pelos seguintes e-mails:

Elizabeth Alves
beth@observatoriodasmetropoles.net

Assuntos administrativos

Karol de Souza
karol@observatoriodasmetropoles.net

Assessoria de Comunicação

Breno Procópio
comunicacao@observatoriodasmetropoles.net

Assuntos Acadêmicos

Juciano Rodrigues
juciano@observatoriodasmetropoles.net